Unimontes retoma entendimentos com a Codevasf para reestruturação do campus local
Publicado: 12/06/2018 10:13
Grupo de Trabalho - Crédito: Andrey Librelon Grupo de Trabalho - Crédito: Andrey Librelon

A Universidade Estadual de Montes Claros trabalha pela melhoria e o aprimoramento das atividades de ensino, pesquisa e extensão nas unidades vinculadas, como em Pirapora (Norte de Minas). O estudo mais recente diz respeito a possibilidade de reestruturação do campus naquele município, a partir de entendimentos com a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf).

 

Em análise está a possibilidade de doação definitiva do terreno do atual campus para a Unimontes, cuja vigência do convênio de cessão termina em 2019.

 

Em recentes reuniões entre a gestão da Unimontes e a Superintendência da Codevasf em Minas Gerais, foram retomados os entendimentos para a continuidade do plano diretor do campus Pirapora, com a criação de um grupo de trabalho para analisar a melhor maneira de utilização de todo o terreno.

 

A cessão definitiva do espaço dependerá do atendimento às regras legais e normativas. O grupo de trabalho reúne representantes da Reitoria e dos Departamentos de Ciências Agrárias, de Biologia Geral e de Geociências. Ainda em compreensão a importância do campus em Pirapora e as vocações regionais, recentemente, a Unimontes recebeu doação da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes) de um barco de pesquisa, dotado de laboratórios para o incremento de estudos científicos nas diversas áreas do conhecimento.

 

HISTÓRICO

O campus da Unimontes em Pirapora funciona em terreno cedido pela Codevasf desde 1996. O contrato foi renovado em 2015, com vigência até 2019. Na reunião dessa terça, o reitor João Canela lembrou do interesse da Universidade em manter e implantar novas ações no campus Pirapora. "Vejo como importância estratégica a incorporação definitiva, sobretudo diante da possibilidade de melhorias nas atividades institucionais e de pesquisa, ensino e extensão”.